Empresa

A NSG, Saúde e Segurança do Trabalho Ltda-Me, é uma empresa 100% Brasileira, especializada em saúde e segurança do trabalho, que traz soluções organizacionais a empresas de todos os portes e ramos de atividade econômica. 

 

  • Visão

    Ser reconhecida como referencia nacional, em qualidade de prestação de serviços no seguimento de saúde e segurança do trabalho, capacitando e formando profissionais de excelência.
  • Missão

    Oferecer solução adequadas e ajustadas as reais necessidades dos nossos clientes.
  • Valores

    A NSG Saúde e Segurança do trabalho têm como principio básico, a transparência e integridade como pilar de sua estrutura organizacional e suas relações com clientes, fornecedores e parceiros.

Serviços


A NSG é uma das consultorias de segurança do trabalho que mais cresce no Brasil e está entre as líderes do setor, cada vez mais respeitada pela qualidade, capacidade técnica,satisfação dos clientes e inovação.

Veja os serviços que a NSG oferece:

Fornecimento de Mão de Obra Especializada
  • Equipe de resgate para acompanhamento de risco para espaços confinados
  • Fornecimento de bombeiro civil
  • Fornecimento de brigada voluntária de incêndio
  • Terceirização de Mão de Obra em QSMS
Higiene Ocupacional
  • Avaliação de estresse Térmico
  • Avaliação de poeiras, névoas, fumos metálicos, vapores orgânicos, neblinas, gases dentre outros.
  • Avaliação de Ruído de Conforto para a Comunidade (CONAMA 001)
  • Avaliação de vibração
  • Dosimetria de Ruído
  • Locação de equipamentos de avaliação ambiental
Laudos Técnicos
  • Laudo AET – Analise ergonômica do trabalho
  • Laudo de insalubridade
  • Laudo de instalações elétricas
  • Laudo de Periculosidade
  • Laudos de ruídos externos (conama 01)
  • LTCAT – Laudo técnico de condições ambientais do trabalho
Medicina Ocupacional
  • ASO – Atestado de Saúde Ocupacional
  • Audiometria
  • Avaliação da acuidade visual
  • Controle de absenteísmo
  • Controle de CAT emitidos
  • Dinamometria
  • Eletrocardiograma (ECG)
  • Eletroencefalograma (EEG)
  • Enquadramento de PCD – Pessoa com deficiência
  • Espirometria
  • Exames laboratoriais
  • Exames radiológicos
  • Perícia médica
  • Relatório anual do PCMSO
Programas de Segurança
  • APR – Análise Preliminar de Risco
  • PCA – Programa de Conservação Auditiva
  • PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção
  • PCMSO: Programa de controle médico de saúde ocupacional
  • PGR – Programa de Gerenciamento de Riscos
  • Plano de Emergência
  • PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário
  • PPR – Programa de Proteção Respiratória
  • PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
  • PT – Permissão de trabalho

Equipe de resgate para acompanhamento de risco para espaços confinados

Algumas Atribuições:
a) identificar, isolar e sinalizar os espaços confinados para evitar a entrada de pessoas não autorizadas;
b) antecipar e reconhecer os riscos nos espaços confinados ;
c) proceder à avaliação e controle dos riscos físicos, químicos, biológicos, ergonômicos e mecânicos;
d) prever a implantação de travas, bloqueios, alívio, lacre e etiquetagem;
e) implementar medidas necessárias para eliminação ou controle dos riscos atmosféricos em espaços confinados;
f) avaliar a atmosfera nos espaços confinados, antes da entrada de trabalhadores, para verificar se o seu interior é seguro;
g) manter condições atmosféricas aceitáveis na entrada e durante toda a realização dos trabalhos, monitorando, ventilando, purgando, lavando ou inertizando o espaço confinado;
h) monitorar continuamente a atmosfera nos espaços confinados nas áreas onde os trabalhadores autorizados estiverem desempenhando as suas tarefas, para verificar se as condições de acesso e permanência são seguras;
i) proibir a ventilação com oxigênio puro;
j) testar os equipamentos de medição antes de cada utilização; e
k) utilizar equipamento de leitura direta, intrinsecamente seguro, provido de alarme, calibrado e protegido contra emissões eletromagnéticas ou interferências de radiofrequência.

Fornecimento de bombeiro civil

Contamos com uma Equipe de profissionais devidamente treinadas, organizadas e capacitadas para prevenção e combate a incêndio, preparada para evacuação de ambiente e prestação de primeiros socorros.

Fornecimento de brigada voluntária de incêndio

A “NSG” é uma empresa especializada no gerenciamento e fornecimento de brigadas de incêndio para eventos, empresas, shopping em geral e condomínios, com larga experiência no mercado. 

Terceirização de Mão de Obra em QSMS

A terceirização de mão-de-obra visa melhorar os índices de produtividade da empresa, sem aumentar os custos operacionais.
Na área de Segurança do Trabalho disponibilizamos da seguinte mão de obra:
Engenheiro de Segurança do Trabalho;
Técnico de Enfermagem do Trabalho;
Técnico de Enfermagem;
Médico do Trabalho;
Técnico de Segurança do Trabalho.
Todos estes profissionais são contratados de acordo com as necessidades e exigências do cliente quanto a formação técnica e experiência.

Avaliação de estresse Térmico

Levantamento de Sobrecarga Térmica – IBUTG – Calor: a exposição ao calor deve ser avaliada através do Índice de Bulbo Úmido (Termômetro de Globo – IBUTG), utilizando-se equações para o cálculo das taxas de metabolismo.

Os limites de tolerância para exposição ao calor, em conformidade com a Portaria nº 3214, de 08/06/78, estão estabelecidos na NR-15, Anexo no 3 e Quadro no 1 e 2, são fornecidos em função da atividade exercida e do IBUTG – índice de bulbo úmido e termômetro de globo, onde Tbn = temperatura do bulbo úmido natural;  Tbs = temperatura do bulbo seco; TG = temperatura de globo.

Avaliação de poeiras, névoas, fumos metálicos, vapores orgânicos, neblinas, gases dentre outros.

Atendimento aos requisitos da ACGIH e da NR-15 para limites de exposição ocupacional utilizando as metodologias NIOSH, OSHA, MDHS e NHO 08 como principais referências para análise e amostragem. Entre os principais ensaios, estão os deácidos inorgânicos, aldeídos, cloro, fenol, fumos e poeiras metálicas, gases (CO, CO2 e gases de petróleo), glicóis, hidrocarbonetos poliaromáticos, isocianatos, mercaptanas, mercúrio, negro de fumo,naftas, óleo mineral, óxidos nitrosos, ozônio, pesticidas e agrotóxicos, partículas (respiráveis, torácicas e inaláveis), sílica cristalina, vapores e solventes orgânicos, dentre outros agentes químicos.  

 

Avaliação de Ruído de Conforto para a Comunidade (CONAMA 001)

Em conformidade com a NBR 10151 e Resolução CONAMA 001/90, realizamos os levantamentos ambientais junto a propriedade, informando dos níveis e das medidas mitigadoras a serem implementadas. Os locais das mensurações são demarcados em planta baixa e em fotografia aérea, com demarcações em latitude e longitude dos locais avaliados.

Avaliação de vibração

A exposição ocupacional à vibração é bastante frequente e seus efeitos na saúde humana são consideráveis, sendo necessários, portanto, avaliação e controle. A vibração consiste em movimento inerente aos corpos dotados de massa e elasticidade. O corpo humano possui características de inércia e elasticidade que lhe conferem valores de frequência natural distintos, relativos a cada uma de suas partes. Se uma frequência externa coincide com a frequência natural do sistema, ocorre a ressonância, que implica em amplificação do movimento. Assim, a energia vibratória associada a esse efeito é absorvida pelo corpo, como consequência da atenuação promovida pelos tecidos e órgãos. Este fator de risco é focalizado nas NR-9 e NR-15, do Ministério do Trabalho e Emprego, sendo estabelecido que a avaliação da exposição ocupacional de vibração deve ser realizada com base nas normas ISO-2631 e ISO-53831 e suas substitutas.

Dosimetria de Ruído

O objetivo da dosimetria é determinar se a exposição do trabalhador está acima do limite de tolerância definido pela norma ou não.

Locação de equipamentos de avaliação ambiental

Realizamos locações para todos equipamentos de higiene ocupacional utilizados para a realização da análise ambiental:
Dosimetro; 
Bomba de amostragem;
termômetro de globo;
Mul-função (Termo-Higro-Decibelímetro-Luxímetro);
Acelerômetro;
etc..

Laudo AET – Analise ergonômica do trabalho

A análise ergonômica dos postos de trabalho existentes na empresa é realizada através da vistoria técnica de profissional habilitado e tem como finalidade formar parâmetros para adaptação das condições de trabalho dos colaboradores às suas características psicofisiológicas, oferecendo o máximo de conforto, segurança e eficiência de desempenho. A realização é feita a cada alteração de mobiliário ou alteração no ambiente de trabalho.

Nossa equipe de profissionais desenvolve ações que levam em consideração aspectos antropométricos, biomecânicos e psicofisiológicos, equipamentos, mobiliário, ambiente, comunicações existentes entre os elementos de um sistema, a transmissão dessas informações, o processamento, a tomada de decisões, organização do trabalho e suas condições, incluindo aspectos relacionados ao levantamento, transporte e descarga de materiais.

Para avaliar a adaptação dessas condições às características psicofisiológicas dos colaboradores, a empresa deve realizar aAnálise Ergonômica do Trabalho (AET), abordando as regras estabelecidas na Norma Regulamentadora (NR-17 da Portaria nº 3751 de 23 de novembro de 1990 do Ministério do Trabalho).

Laudo de insalubridade

A execução de atividades em condições insalubres confere aos empregados direito à percepção de adicional sobre o salário mínimo, variando de 10% para insalubridade de grau mínimo, 20% para insalubridade de grau médio e 40% para insalubridade de grau máximo, dependendo do agente agressivo presente no seu local de trabalho e do tipo de atividade executada.

O laudo técnico de avaliação das atividades dos colaboradores e o eventual enquadramento para fins de pagamento de adicional de insalubridade é realizado de acordo com determinações técnicas específicas, tais como: ruído, temperatura, agentes químicos, se for o caso, para comparação com os parâmetros estabelecidos pela Norma Regulamentadora nº 15 (NR-15) – Atividades e Operações Insalubres – da Portaria nº 3.214/78, utilizando-se, para tanto, o conceito de GHE – Grupo Homogêneo de Exposição (setor/função), segundo o estabelecido pela Instrução Normativa nº 100 do INSS.

Laudo de instalações elétricas

Preparação de relatório com as indicações técnicas para possível adaptação das acomodações elétricas da empresa às normas técnicas da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas – por meio da prática de inspeção visual minuciosa e a concretização de testes e medições.
O desenvolvimento do trabalho consiste nas seguintes etapas:
Reunião inicial sobre a metodologia a ser adotada para realização do trabalho;
Vistoria técnica nas instalações da empresa;
Análise documental das instalações elétricas;
Elaboração do relatório de inspeção para adequação do prontuário das instalações elétricas;
Apresentação final do relatório de inspeção para adequação do prontuário com recomendações e a sua manutenção.

Laudo de Periculosidade

Visa atender às exigências legais previstas na Norma Regulamentadora NR-16, que trata das atividades e operações perigosas, parte da Portaria nº 214 de 08 de junho de 1978, bem como do enquadramento das atividades constantes no quadro de atividades/área de risco do Anexo 4, NR 16, que regulamentou a Lei nº 369 de 20/09/85 e também as atividades e operações perigosas com radiações ionizantes ou substâncias radioativas previstas na Portaria nº 518 de 4/4/2003.

O laudo técnico é formado de acordo com a NR-16, norma que regulamenta as atividades e as operações legalmente consideradas perigosas, estipulando as recomendações preventivas correspondentes. Para a confecção do laudo, é realizada uma avaliação técnica das atividades dos colaboradores e de sua exposição a produtos perigosos, para assim determinar se é necessário o pagamento de adicional de periculosidade.

Laudos de ruídos externos (conama 01)

O objetivo deste programa é atender a reclamação da comunidade, de forma a monitorar e mitigar o impacto provocado pelos ruídos decorrentes das atividades de construção deste empreendimento, tendo como princípio a conservação do Meio Ambiente e a preservação da qualidade de vida da comunidade de modo a atender à Resolução CONAMA 001/90, que estabelece critérios e padrões para emissão de ruídos por atividades industriais, e que considera como aceitáveis os níveis de ruído previstos pelas normas ABNT NBR 10.151/2000 – Avaliação do ruído em áreas habitadas visando o conforto da comunidade e NBR 10152/1987 – Níveis de ruído para confortoacústico.

LTCAT – Laudo técnico de condições ambientais do trabalho

Juntamente com o PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – esse laudo tem o objetivo de determinar os elementos necessários para confecção dos formulários PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário, que se refere à avaliação da causa de aposentadoria especial.

A elaboração do LTCAT segue a estrutura estabelecida pela Instrução Normativa nº 100 do INSS e está vinculada a eventuais agentes de risco físicos (ruído, frio, calor, radiações), químicos e/ou biológicos aos quais os colaboradores da empresa estão expostos, segundo os conceitos da Portaria nº 3.214/78.

ASO – Atestado de Saúde Ocupacional

Esse atestado é uma forma de assegurar se o funcionário está apto (em termos de condições físicas) para realizar as atividades exigidas no posto de trabalho. O ASO é realizado, geralmente, em três momentos: admissão, demissão e mudança de função. Além disso, esse atestado detalha os exames necessários para verificar a saúde do empregador.

 

 

Audiometria

O exame audiométrico é realizado dentro dos princípios e procedimentos básicos exigidos pela Portaria n.º 19, de 09 de abril de 1998. “O exame audiométrico é controlado por um sistema informatizado, permitindo o seguimento das audiometrias realizadas por cada colaborador, comparando o exame audiométrico de referência com os seqüenciais como exige a referida Portaria.”

Avaliação da acuidade visual

determinada tarefa.
A avaliação correta da visão profissional é fundamental na adequada relação do binômio “trabalho e visão”, para se evitar inadequação visual para realização de tarefa, podendo gerar: fadiga visual, comprometimento de desempenho, afetar a segurança no trabalho predispondo a acidentes, a integridade física e psíquica do trabalhador.

Enfim, a avaliação da acuidade visual é fundamental para definição da capacidade de visão do trabalhador e com isto, poder confirmar a aptidão ou não ao trabalho.
Ao final da Avaliação da Acuidade Visual é emitido laudo médico com o resultado do exame realizado.

Controle de absenteísmo

Atuamos no controle de faltas por atestados médicos, fazendo uma análise minuciosa de cada caso, identificando os mais sérios.

O absenteísmo é um problema que ocasiona não somente custos diretos, mas indiretos também. Seu alto índice pode representar diminuição da produtividade, aumento do custo da produção, redução da qualidade do produto/serviço, diminuição da eficiência no trabalho e problemas administrativos.

Controle de CAT emitidos

Manter controlada a emissão de CAT’s é de extrema relevância para empresas que não querem ter custos extras com multas, nem problemas com a Justiça do Trabalho. Portanto, se o seu negócio não está em dia com a Comunicação de Acidente de Trabalho e não sabe como proceder, entre em contado com a nossa equipe. Nós realizamos um detalhado controle, cujo resultado é: organização e redução de custos.

A Lei nº 8.213/91 determina, no seu artigo 22, que todo acidente do trabalho ou doença profissional deverá ser comunicado pela empresa ao INSS, sob pena de multa em caso de omissão.

Dinamometria

O teste de força dinamométrica serve para avaliarmos a força isométrica (estática) do paciente, podendo ser realizados os testes de dinamometria manual, do tórax, lombar e dos membros inferiores. A avaliação pode ser:
Manual;
Escapular;
Dorsal.

Eletrocardiograma (ECG)

Os exames de eletrocardiogramas são realizados em nossas instalações. O eletrocardiograma é um teste simples que detecta e registra atividade elétrica do coração para localizar problemas cardíacos. O eletrocardiograma mostra a rapidez das batidas do coração e seu ritmo.

Ele ainda registra a força e ritmo dos sinais elétricos à medida que eles passam por cada parte do coração ajudando a revelar vários problemas cardíacos como: ataque do coração, falta de fluxo sanguíneo no músculo cardíaco, batimento irregular do coração e falta de força no bombeamento do coração.
Exame realizado nas nossas instalações, com laudo emitido em 24 / 48 horas como rotina, ou em menos tempo, em casos excepcionais.

Eletroencefalograma (EEG)

Exame realizado nas nossas instalações, com laudo emitido em 24 / 48 horas como rotina, ou em menos tempo, em casos excepcionais.

O EEG é um exame que analisa a atividade elétrica cerebral espontânea, captada através da utilização de eletrodos colocados sobre o couro cabeludo. Como a atividade elétrica espontânea está presente desde o nascimento, o EEG pode ser útil em todas as idades, desde recém-nascidos até pacientes idosos.

O objetivo desse exame é obter registro da atividade elétrica cerebral para o diagnóstico de eventuais anormalidades dessa atividade. Suspeitas de alterações da atividade elétrica cerebral e dos ritmos cerebrais fisiológicos.

Epilepsia ou suspeita clínica dessa doença.

Pacientes com alteração da consciência.

Avaliação diagnóstica de pacientes com outras doenças neurológicas (ex: infecciosas, degenerativas) e psiquiátricas.

Enquadramento de PCD – Pessoa com deficiência

Cientes de que o Ministério do Trabalho exige que toda empresa com mais de 100 funcionários reserve 2% de seu quadro para pessoas com deficiência, elaboramos um serviço de avaliação médica, baseado nos critérios de enquadramento de deficientes no mercado de trabalho.

Espirometria

Será realizado em laudos informatizados em nossas instalações ou nas dependências da própria empresa. A espirometria (do latim spirare = respirar + metrum = medida) é a medida do ar que entra e sai dos pulmões.
Através da Portaria SSST nº. 24, de 29 de dezembro de 1994 (NR-7) em seu QUADRO II, torna obrigatória a realização de ESPIROMETRIA por parte dos trabalhadores expostos a aerodispersóides (poeiras, fumos, névoas e neblinas).

QUADRO II:
Parâmetros para monitorização da exposição ocupacional a alguns riscos à saúde:
EXPOSIÇÃO A AERODISPERSÓIDES – Espirometria Admissional e repetição Bienal.
IMPORTANTE! LAUDO DE ESPIROMETRIA É ATO MÉDICO, NÃO PODE SER EMITIDO POR NENHUM OUTRO PROFISSIONAL.

Exames laboratoriais

Temos parceria com laboratórios de análises clínicas e toxicológicas. Os exames podem ser colhidos em nossas instalações ou na própria empresa.

Os exames laboratoriais são solicitados periodicamente para que se possa fazer uma análise mais completa do quadro de saúde dos funcionários.
1.1. Os exames toxicológicos devem ser realizados:

a) previamente à admissão;
b) por ocasião do desligamento.

Exames radiológicos

Realizamos RX de Tórax PA com laudo no padrão OIT (Organização Internacional do Trabalho) emitido por profissional legalmente habilitado,como exige o ANEXO II do QUADRO II da Portaria SIT n.º 223 de 06 de maio de 2011.

Perícia médica

Altamente qualificada, nossa equipe está apta a realizar – caso seja necessário – perícia médica nos funcionários de sua empresa, analisando cada caso de maneira diferenciada.

Os Pareceres Médicos são documentos formais emitidos com base em elementos fornecidos pelo cliente, que potenciam o grau de eficácia e confiabilidade da opinião. Tais elementos servem de fonte para uma análise objetiva por parte da nossa equipe médica que fará a emissão de um relatório detalhado, fundamentado e devidamente assinado.

O nosso parecer médico ajuda na tomada de decisões no âmbito da saúde individual, ou ainda apoia sua empresa em situações de divergência de opinião.

Relatório anual do PCMSO

Desenvolvemos, em conjunto com os setores de sua empresa, o Relatório Anual do PCMSO, documento que apresenta o número e a natureza dos exames clínicos e complementares feitos, a estatística de resultados de exames considerados anormais, assim como o planejamento dos exames para o próximo ano e a relação dos já realizados.

APR – Análise Preliminar de Risco

A expressão APR significa Análise Preliminar de Risco é muito utilizada no dia-a-dia dos profissionais da área de segurança e saúde do trabalho. APR é uma técnica de avaliação prévia dos riscos presentes na realização de um determinada atividade / trabalho. Consiste no detalhamento minucioso de cada etapa do trabalho, e dos riscos envolvido nesta tarefa.

Objetivos da APR Entre os principais objetivos da análise preliminar de risco, podemos destacar:
Identificar os riscos;
Orientar os colaboradores dos riscos existentes em suas atividades no trabalho;
Organizar a execução da atividade;
Estabelecer procedimentos seguros;
Trabalhar de maneira planejada e segura;
Prevenção dos acidentes de trabalho;
Sensibilizar e instruir os trabalhadores sobre os riscos evolvidos na execução do trabalho.

PCA – Programa de Conservação Auditiva

O PCA – Programa de Conservação auditiva é um conjunto de medidas coordenadas que previnem a instalação ou evolução das perdas auditivas ocupacionais, deve sempre estar perfeitamente integrado com o PCMSO e o PPRA. Onde existir o risco para a audição do trabalhador há necessidade de implantação do PCA.

O presente documento encontra-se em acordo com a Portaria Nº 19, de 9 de Abril de 1998 do Ministério do Trabalho e Emprego, o qual estabelece a obrigatoriedade da implementação do PCA em todo estabelecimento de trabalho com Níveis de Pressão Sonora Elevados.

PCMAT – Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção

É obrigatório a elaboração e o cumprimento do PCMAT nos estabelecimentos com 20 trabalhadores ou mais, contemplando os aspectos desta NR e as exigências contidas na NR 9 (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais) através da antecipação dos riscos inerentes à atividade da construção civil.

Essa norma tem como objetivo garantir, através de ações preventivas, a integridade física e a saúde do trabalhador da construção, funcionários terceirizados, fornecedores, contratantes, visitantes, enfim, as pessoas que atuam direta ou indiretamente na realização de uma obra ou serviço e estabelecer um sistema de gestão em Segurança do Trabalho nos serviços relacionados à construção.

PCMSO: Programa de controle médico de saúde ocupacional

A sigla PCMSO significa Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, conforme estabelece o subitem 7.2.1 da norma regulamentadora nº 07, o PCMSO é parte integrante do conjunto mais amplo de iniciativas da empresa no campo da saúde dos trabalhadores, devendo estar articulado com o disposto nas demais normas regulamentadoras.

O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO é regulamentado pela norma regulamentadora nº 07 do Ministério do Trabalho e Emprego, que estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por parte de todos os empregadores e instituições que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO, com o objetivo de promoção e preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores.

O PCMSO estabelece a realização de exames médicos admissionais, periódicos, retorno ao trabalho, mudança de função e demissional. Assim como tem o objetivo prevenir, monitorar e controlar possíveis danos a saúde e integridade do empregado e detectar riscos prévios, especialmente no que diz respeito as doenças relacionadas ao trabalho.

PGR – Programa de Gerenciamento de Riscos

Este Programa é regido pela Norma Regulamentadora 22 da Portaria nº 3.214/78 do MTE. Visando o cumprimento dos dispostos constantes na legislação previdenciária e trabalhista, aplica-se o desenvolvimento do Programa de Gerenciamento de Riscos, que tem por finalidade atender às exigências previstas na legislação previdenciária (Instrução Normativa IN INSS/PRES 45/2010) e trabalhista (NR-9 e NR 22).

O Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR) tem a finalidade de atender às exigências previstas nos Decretos, Ordens de Serviço e Instruções Normativas do Ministério da Previdência Social – MPS e do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS.

Destinado a empresas com atividades na área de mineração, seu objetivo é desenvolver a organização no ambiente de trabalho, de forma a tornar compatível o planejamento e o desenvolvimento das atividades de empresas mineradoras para garantir a segurança e saúde dos colaboradores no exercício de suas atividades.

Plano de Emergência

Objetivo: Preparar os funcionários para um rápido e eficiente abandono do edifício, fábrica, escolas, hospitais etc, em caso real de incêndio ou qualquer outra emergência. Definir o atendimento e as potenciais situações de emergência conforme plano vigente e nas considerações do departamento de segurança.

Razões para a Elaboração de um Plano de Emergência:

Estabelece a possibilidade de acidentes conforme o ambiente e para os riscos encontrados;
Define as diretrizes, princípios e normas para atuação, tento em consideração aos cenários possíveis de um acidente;
Organiza as formas e socorro e prevê atribuições que competem a cada um da equipe de ação do plano;
Organiza ações que visam diminuir as consequências do sinistro;
Evita confusões, erros, atropelos e atuações duplicadas que em uma emergência pode até ser fatal;
Organiza antecipadamente prevendo a atuação no procedimento de evacuação;
Permite rotina e procedimentos, os quais poderão ser testados, através de exercícios de simulação.

PPP – Perfil Profissiográfico Previdenciário

Por se tratar de um formulário criado pelo INSS – Instituto Nacional do Seguro Social, tem como desígnio documentar o histórico-laboral do colaborador. Desta forma, reúne dados administrativos, registros dos eventuais riscos dos ambientes de trabalho e resultados de monitoração biológica durante todo o período de exercício das suas atividades. Sua finalidade é confirmar as qualidades para habilitação de benefícios e serviços previdenciários (auxílio-doença, auxílio-acidentário, aposentadoria especial).

A AMBIOSEG elabora o documento contendo todas as informações relativas ao empregado (atividade que exerce, o agente nocivo ao qual é exposto, a intensidade e a concentração desse agente e quais exames médicos clínicos foram ou serão realizados) e dados referentes à empresa.

PPR – Programa de Proteção Respiratória

De acordo com a Instrução Normativa nº 1 de 11 de abril de 1994 e o Programa de Proteção Respiratória – FUNDACENTRO, cabe a realização de PPR como programa de prevenção diante de atividades laborais com presença de aerodispersoides.

O Programa de Proteção Respiratória – PPR consiste na elaboração das diretrizes para o trabalho frente à presença de particulados. Caberá o reconhecimento, quantificação dos agentes, definição de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) indicados para o trabalho seguro e recomendações de práticas aceitáveis para o uso de respiradores, fornecendo informações e orientações sobre o modo apropriado para a seleção, utilização e conservação dos EPIs.

 

PPRA – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais

O PPRA tem por finalidade atender as exigências da NR-09, que estabelece a obrigatoriedade da elaboração e implantação do Programa de Prevenção dos Riscos Ambientais por parte de todos os empregadores e instituições que admitam colaboradores como empregados.

A AMBIOSEG elaborará o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais existentes e a Demonstração Ambiental (PPRA) ou fará a revisão nos programas existentes contemplando as fases de antecipação, reconhecimento, avaliação e proposição de medidas de controle dos riscos.

 

PT – Permissão de trabalho

É um formulário de uso interno da empresa usado para controlar o acesso ao trabalho em áreas de risco elevado por período pré-determinado pela empresa. Portanto, É uma ferramenta de avaliação, documentação e permissão de exposição á possíveis riscos causadores de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.

Normalmente é utilizada nos:

Trabalhos a quente;
Espaço confinado;
Trabalho com produtos químicos;
Trabalho em locais com gases ou explosivos;
Trabalho em altura;
Movimentação de produtos perigosos;
Escavações, etc.

Cursos

Palestras e Treinamentos

Os treinamentos e palestras oferecidos pela NSG são fontes permanentes de consultas, com objetivo de prevenir acidentes de trabalho, mantendo a saúde e o bem estar dos trabalhadores.

Palestras
  • A Segurança como Valor
  • A segurança está em suas mãos (Cuidado com as mãos)
  • DST’s
  • Ergonomia com realização de Ginástica Laboral
  • Motivacional
  • Obesidade e sedentarismo
  • Os 3 S’s da Segurança
  • Os 5 sentidos a favor da segurança
  • Prevenção de acidentes no LAR
  • Prevenção de acidentes no trajeto
  • Prevenção e combate a incêndio
  • Primeiros socorros
  • Riscos químicos e proteção respiratória
  • Saúde e Alimentação Saudável do Trabalhador
  • Segurança comportamental
  • Segurança no Trabalho
Treinamentos
  • Biosegurança
  • Brigada de incêndio em atendimento a ABNT-NBR 14276/2007 e SEDEC 31 CBMERJ
  • DEA – desfibrilador externo automático
  • Metodologias de análise de riscos
  • NR 05 – Cipa “comissão interna de prevenção de acidentes”
  • NR 06 – Equipamentos de proteção individual
  • NR 07 – Primeiros Socorros
  • NR 10 – Instalações elétricas e serviços de eletricidade
  • NR 11 – Paleteira Elétrica
  • NR 11 – Ponte Rolante
  • NR 11 – Talha Elétrica
  • NR 11 -Operador de empilhadeira
  • NR 11 – Operador de talha (Formação e Reciclagem)
  • NR 12 – Segurança para máquinas e equipamentos
  • NR 13 – Caldeiras
  • NR 13 – Unidade de Processo
  • NR 18 – Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção (Admissional).
  • NR 18 – Plataforma elevatória (Formação e Reciclagem)
  • NR 20 – Líquidos e Inflamáveis
  • NR 20 – Segurança e saúde nos trabalhos com inflamáveis e combustiveis
  • NR 33 – Entrante e Vigia
  • NR 33 – Supervisor de Entrada
  • NR 35 – multiplicador
  • NR 35 – Trabalho em altura
  • NR11 – Ponte rolante (Formação e Reciclagem)
  • Técnicas de apresentação e oratória para técnicos

A Segurança como Valor

A maior característica das empresas de alta performance em Segurança é tratar o assunto como um valor e não apenas como uma prioridade, sobretudo porque prioridades podem mudar ao longo do tempo e conforme os diversos cenários. Prioridades são suscetíveis às mudanças de direção, gerência ou lideranças. Valores são imutáveis e inegociáveis.

Mas como é possível dizer que SEGURANÇA É UM VALOR PARA UMA EMPRESA?  Isso só é possível quando SEGURANÇA se torna um valor para todas as pessoas que nela trabalham. 

A segurança está em suas mãos (Cuidado com as mãos)

Não existe ferramenta alguma criada pelo homem que seja tão perfeita quanto nossas mãos. Isso já é motivo mais do que suficiente para cuidar delas!

Segundo o INSS, mais de 30% dos acidentes com afastamento no Brasil envolvem as mãos. Por serem nossas principais ferramentas de trabalho, nossos escudos em situações de risco iminente e por nem sempre estarem acompanhadas pelos olhos, as mãos são as partes do corpo mais expostas a riscos na grande maioria das empresas. Através de percepções, dinâmicas sensoriais e uma proposta diferenciada ao abordar o assunto, esta palestra tem um forte resultado na mudança comportamental a favor da proteção das mãos.

 

DST’s

Eu sou casado, posso ter? Eu sou virgem, posso ter? HIV – SÍFILIS – HPV – GONORRÉIA. O palestrante põe uma camisinha no pé, provando que, é muito difícil estourar o preservativo. Exames preventivos, Onde procurar ajuda? Brinde: Preservativos gratuitos.

Ergonomia com realização de Ginástica Laboral

A quê se aplica a ergonomia? Os benefícios em melhorar a postura no trabalho. Sentado, em pé ou deitado? Quando a coluna sofre mais? Conhecendo as LER-DORT e praticando a prevenção. Entendendo a capacidade de carga/peso do seu corpo. Aprendendo a melhor postura para se trabalhar. Ginástica Laboral com música e muita animação.

Motivacional

Busca desenvolver o espirito motivacional entre os colaboradores, utilizando de fatos cotidianos para aumentar a aplicabilidade intuitiva da equipe. 

Obesidade e sedentarismo

Como combater o sedentarismo e evitar a obesidade, que hábitos devemos adquirir, as doenças que a obesidade provoca.

Os 3 S’s da Segurança

Se para! Se pensa! Se Faz! Stand ‘ up com Felipe Ferreira. Uma palestra diferenciada e muito, muito divertida. Temas: EPI, EPC,APR, Comportamento seguro, Trabalho em equipe e prevenção de acidentes no trabalho. Prevenção das doenças ocupacionais.

Os 5 sentidos a favor da segurança

A percepção do que acontece à nossa volta é essencial para que possamos associar o comportamento seguro ao nosso trabalho. Nossos cinco sentidos são os radares naturais que nos manterão longe dos riscos.
Todos os dias usamos os nossos 5 sentidos para interagir com o mundo à nossa volta. Através deles percebemos o que acontece ao nosso redor, e podemos nos antecipar aos riscos. A percepção adequada dos sinais que recebemos através destes sentidos pode ser um grande aliado na prevenção dos acidentes e na obtenção de uma melhor qualidade de vida.

 

Prevenção de acidentes no LAR

Buscamos alertar os colaboradores, sobre os riscos que ficam esquecidos em nossa residência, que se transforma em cenário de acidentes devido a tranquilidade e a falsa sensação de segurança!!

Prevenção de acidentes no trajeto

Direção defensiva moto, carro e pedestres. As principais ocorrências de trajeto e como evitá-las. Manutenção veicular, e orientação do pedestre. Pontos cegos, como antecipá-los e evitar um acidente. Orientações práticas de como se portar como pedestre em avenidas, calçadas e ruas, evitando os acidentes.

Prevenção e combate a incêndio

Os riscos que envolvem fogo. Princípios de incêndios. Vamos colaborar com os brigadistas. Pare e não obstrua um equipamento de combate a incêndio. Plano de abandono. Rotas de fuga. As principais causas de incêndio em uma empresa. Simulação com a plateia de fogo na SALA, o que fazer?

Primeiros socorros

Quais são os mecanismos de lesão mais frequentes, como avaliar uma vítima, como agir em casos de: Desobstrução de vias aéreas, reanimação cardiopulmonar, ferimentos, hemorragias, fraturas, queimaduras, acidentes com eletricidade e outras emergências.

 

Riscos químicos e proteção respiratória

A importância da conscientização dos riscos químicos que a empresa possui e quais as formas de proteção. Os tópicos principais: Produtos químicos como fonte geradora; Tipos de riscos químicos; Metodologia de investigação e análise para riscos químicos; FISQ – Ficha de informação de Produtos Químicos; Coleta e análise de ocupacional para agentes químicos; Limites de tolerância na legislação vigente; Proteções individuais e coletivas.

Saúde e Alimentação Saudável do Trabalhador

Os nutrientes onde estão e quais são ? conhecendo as fontes de vitaminas e minerais Alimentação que previne um câncer Os benefícios da atividade física e alimentação saúdavel quantas calorias eu como em unico dia Os niveis de colesterol BOM e Ruim (ldl e HDL) O que é um prato saúdavel

Segurança comportamental

Pesquisas recentes indicam que mais de 95% dos acidentes são resultados de atos inseguros. Portanto, a conscientização da importância de cada ato seguro é essencial para atingirmos números cada vez melhores na área de Segurança.

Utilizando uma abordagem comportamental, esta palestra procura mostrar aos participantes o que causa o comportamento de risco, e como todos nós estamos sujeitos a ele, se não nos cuidarmos continuamente. A palestra mostra que a responsabilidade sobre a segurança é de cada um, e que o comportamento seguro é o maior aliado da prevenção.

 

Segurança no Trabalho

O impacto das pequenas coisas na sua VIDA! Exemplos de quando um E.P.I salvou alguém. As maiores causas de acidentes (Atos inseguros). Eliminando o fator pessoal de insegurança e trabalhando para melhorar as condições inseguras. Brigada de incêndio – CIPA – SESMT. Os agentes da segurança.

Biosegurança

Biossegurança NR-32

A NR 32 tem por finalidade estabelecer as diretrizes básicas para a implementação de medidas de proteção à segurança e à saúde dos trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.

Entende-se por serviços de saúde qualquer edificação destinada à prestação de assistência à saúde da população, e todas as ações de promoção, recuperação, assistência, pesquisa e ensino em saúde em qualquer nível de complexidade.

 

 

Brigada de incêndio em atendimento a ABNT-NBR 14276/2007 e SEDEC 31 CBMERJ

É um grupo organizado de pessoas preferencialmente voluntarias ou indicadas, treinadas e capacitadas para atuar na prevenção e no combate ao princípio de incêndio, abandono de área e primeiros socorros, dentro de uma área preestabelecida na planta.

DEA – desfibrilador externo automático

O Curso de Desfibrilador Externo Automático (DEA) tem por objetivo preparar o profissional da área de saúde e segurança (SMS) a manusear corretamente este equipamento de ressuscitação cardiopulmonar.

Metodologias de análise de riscos

Voltado aos Profissionais da Segurança do Trabalho, oferecendo conhecimento de aplicação das mais diversas metodologias de análise de riscos.

NR 05 – Cipa “comissão interna de prevenção de acidentes”

A CIPA NR-5 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Estabelece a obrigatoriedade das empresas públicas e privadas organizarem e manterem em funcionamento, por estabelecimento, uma comissão constituída exclusivamente por empregados com o objetivo de prevenir infortúnios laborais, através da apresentação de sugestões e recomendações ao empregador para que melhore as condições de trabalho, eliminando as possíveis causas de acidentes do trabalho e doenças ocupacionais. A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento jurídico à existência desta NR, são os artigos 163 a 165 da CLT.

NR 06 – Equipamentos de proteção individual

Orientar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) utilizados conforme suas funções, com base na NR 6. Informar sobre a legislação aplicada e obrigações do Empregado e do Empregador.

NR 07 – Primeiros Socorros

Atender a Norma Regulamentadora Sete (NR-7) do MTE que prevê a obrigatoriedade do treinamento anual para os funcionários da empresa, a fim de capacitar e orientar quanto às técnicas básicas de primeiros-socorros visando à segurança e atendimento de vítimas dentro do ambiente da empresa.

NR 10 – Instalações elétricas e serviços de eletricidade

NR – 10 básico: Treinar os colaboradores que direta ou indiretamente interajam em instalações elétricas e serviços de eletricidade, sobre a Norma, procedimentos e medidas de controle do risco, visando a execução segura dos trabalhos com eletricidade.

NR – 10 reciclagem: O objetivo deste treinamento é o de fazer uma revisão dos 14 itens da norma, focando nos procedimentos seguros, bem como identificar as dificuldades encontradas nos últimos dois anos.

NR – 10 sep: O treinamento da NR 10 – Complementar (SEP) tem por objetivo orientar os profissionais que trabalham em instalações elétricas, com tensão igual ou superior a 1000 volts. O conteúdo do programa aborda procedimentos e riscos típicos no SEP.

NR 11 – Paleteira Elétrica

O presente curso em conformidade, tem como finalidade estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de segurança na operação de paleteira elétrica atendo o disposto na NR11 e NR12.

NR 11 – Ponte Rolante

Ensinar conceitos de segurança no trabalho, aprimorar conhecimentos sobre o funcionamento e manutenção da Ponte Rolante, ensinar técnicas de correto manuseio da máquina e possibilitar noções sobre a legislação e suas atribuições no local de trabalho.

NR 11 – Talha Elétrica

A instrução técnica para o efetivo atendimento das normas de transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais no que compete a operação de talha elétrica.

NR 11 -Operador de empilhadeira

O curso de operador de empilhadeira NR-11 tem como objetivo capacitar e reciclar com conhecimentos para operação e manutenção de empilhadeiras, para realizar as operações de transporte, movimentação, armazenagem e manuseio de materiais de forma segura e precisa, evitando perdas de tempo, acidentes e custos para as empresas. Curso destinado à operadores de empilhadeiras que já operam ou não empilhadeiras.

Os operadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se durante o horário de trabalho portarem um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível.

NR 11 – Operador de talha (Formação e Reciclagem)

O objetivo do treinamento é o de capacitar os colaboradores nas rotinas de operação de talhas, abordando técnicas de manuseio da máquina, seleção de acessórios. Aborda as responsabilidades dos operadores e legislação aplicável de acordo com a NR 11.

NR 12 – Segurança para máquinas e equipamentos

O objetivo do treinamento é o de apresentar referências técnicas, princípios fundamentais e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores, em atendimento a norma regulamentadora 12 em sua ultima atualização de 2010. A capacitação deve ser específica para cada tipo de máquina e equipamento focando a operação segura. Carga horária: 8 horas (mínima)

NR 13 – Caldeiras

Destina-se a profissionais interessados em qualificar-se tecnicamente em aspectos ligados a operação de unidades de processos com segurança e eficiência, de forma a evitar acidentes e a preservar as boas condições do equipamento, controlando o funcionamento dos equipamentos.

NR 13 – Unidade de Processo

O presente curso em conformidade, tem como finalidade estabelece os requisitos e condições mínimas objetivando a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que, direta ou indiretamente, interajam em Unidades de processo.

NR 18 – Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção (Admissional).

O objetivo do treinamento é o de conscientizar os colaboradores levando-os a reconhecer os riscos no ambiente de trabalho para a correta utilização dos EPIs e EPC, bem como a importância de seguir as normas de segurança.

NR 18 – Plataforma elevatória (Formação e Reciclagem)

O treinamento teórico / prático tem o objetivo de capacitar o colaborador para operação segura da plataforma, bem como garantir a segurança dos usuários, o foco é análise de risco e os procedimentos seguros.

NR 20 – Líquidos e Inflamáveis

O presente curso tem como finalidade capacitar e alertar o profissional na correta movimentação do produto, identificando componentes e materiais utilizados, com conhecimentos necessários, cumprindo as normas de segurança estabelecidas na NR-20.

NR 20 – Segurança e saúde nos trabalhos com inflamáveis e combustiveis

O curso de NR 20 tem como objetivo capacitar os profissionais que lidam com esses tipos de produtos, garantindo a perfeita segurança e qualidade do serviço, obedecendo a legislação e os procedimentos obrigatórios

NR 33 – Entrante e Vigia

O curso de espaço confinado NR-33 tem como objetivo capacitar e qualificar os profissionais para trabalhos em espaços confinados de acordo com a NR33 – Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados e a NBR 14787 – Prevenção de Acidentes, Procedimentos e Medidas de Proteção. Espaço Confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

NR 33 – Supervisor de Entrada

O curso de espaço confinado NR-33 tem como objetivo capacitar e qualificar os profissionais para trabalhos em espaços confinados de acordo com a NR33 – Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados e a NBR 14787 – Prevenção de Acidentes, Procedimentos e Medidas de Proteção. Espaço Confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

NR 35 – multiplicador

Consiste em formar profissionais já da área, moldando a forma de didática na transmissão do conhecimento aos colaboradores, tornando se assim um profissional multiplicador das diretrizes da NR-35

NR 35 – Trabalho em altura

O treinamento para Trabalho em Altura visa orientar e conscientizar os colaboradores que atuem em atividades acima de 2 metros de altura, sobre os procedimentos seguros, bem como a correta utilização dos EPIs e EPCs e as responsabilidades conforme a Norma Regulamentadora 35.

NR11 – Ponte rolante (Formação e Reciclagem)

O objetivo do treinamento é formar operadores de Ponte Rolante com conceitos prevencionistas e que atendam o disposto da NR 11, ensinar técnicas do correto manuseio da ponte rolante e operação segura do equipamento.

Técnicas de apresentação e oratória para técnicos

O objetivo do curso se funda na necessidade do Profissional Técnico em realizar palestras e apresentações, bem como, negociações com sindicatos, fiscalizações e diretoria da empresa. Serão imprimidas técnicas que capacitarão o profissional a uma apresentação eficaz e adequada a cada situação.

Contato


* Todos os campos são obrigatórios.

Alguns de Nossos Relacionamentos

Atendimento via WhatsApp

Bem vindo ao atendimento via WhatsApp. 03:11

Em que posso ajudar?03:11

NSG Saúde e Segurança do Trabalho

Rua Juiz Moacir Marques Morado, 182,
Centro, São João de Meriti, RJ
CEP: 25520-391

21 2756-0503 | 21 99624-7293 | 113*49243

21 98611-4253

Receba por email atualizações sobre nossos cursos, palestras e treinamentos: